AMB reconhece a importância da medicina de tráfego e estimula a especialização

A Associação Médica Brasileira (AMB) divulgou comunicado destacando a importância da especialização em Medicina de Tráfego para a habilitação de condutores e esclarecendo os procedimentos para a certificação nesse ramo da medicina. Documento expedido pela entidade em 04/10, sinaliza à comunidade médica e à sociedade que a medicina de tráfego é a qualificação profissional necessária para o manejo adequado dos temas e procedimentos voltados ao fomento e preservação do bem-estar físico, psicológico e social do condutor, independente do meio de transporte utilizado.

“Esse posicionamento da AMB é de grande importância para a medicina de tráfego, coerente com a tradição dessa entidade na defesa dos melhores interesses da medicina e do cidadão”, afirma Juarez Monteiro Molinari, presidente da Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet). Segundo ele, no momento em que são discutidas mudanças no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o reconhecimento da AMB fortalece a defesa desse ramo da medicina. Uma comissão especial da Câmara dos Deputados aprecia o Projeto de Lei 3267/2019, alterando artigos do CTB, entre eles o que amplia o prazo de validade das carteiras de habilitação, postergando a realização de exames de saúde que comprovam as boas condições de saúde e aptidão do condutor.

Em seu posicionamento institucional, a AMB destaca que a medicina de tráfego estuda as causas dos acidentes com vistas a prevenir ou minimizar suas consequências, além de contribuir com subsídios técnicos para a elaboração de normas legais e ações pedagógicas para melhorar o comportamento do usuário do sistema de circulação viária.

A entidade afirma que a medicina de tráfego é reconhecida pela Comissão Mista de Especialidades, representada pelo Conselho Federal de Medicina, Associação Médica Brasileira e Comissão Nacional de Residência Médica, instâncias e entidades que representam a medicina no Brasil. A AMB destaca que a prova para obtenção do Título de Especialista em Medicina de Tráfego é realizada pela Abramet, tendo o período de um ano como periodicidade mínima.

A AMB também informa que a aplicação da prova obedece a um regulamento que valoriza a participação do médico em eventos científicos, sua experiência profissional, atividades e programas de treinamentos específicos e atualização continuada, tendo por base todas as competências requeridas para o exercício da medicina de tráfego.

Segundo a entidade, são duas formas de se obter o reconhecimento como Especialista em Medicina de Tráfego: ter concluído a Residência Médica em Medicina de Tráfego ou ser portador do Título de Especialista emitido pela AMB. “O estímulo à residência e à prova de título é fundamental para fomentarmos a correta formação dos médicos que atuam nessa área, contribuindo para um atendimento de excelência também nesse campo da medicina brasileira”, diz Molinari.

 

Acesse o documento clicando aqui.