Abramet comemora ação da Transalvador, que reduziu limite de velocidade em via com alto índice de acidentes

A Avenida Luís Eduardo Magalhães, uma das campeãs de mortalidade em Salvador (BA), teve seu limite de velocidade reduzido de 80km/h para 70km/h. Recém anunciada pela Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) (23/01), a iniciativa integra medidas que compõem o Programa Vida no Trânsito, executado pela prefeitura da capital baiana em parceria com a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), Ministério da Saúde, Polícia Rodoviária Federal e Secretarias de Saúde do Município e do Estado.

“Iniciativas como essa atendem às recomendações testadas e aprovadas pela Organização Mundial de Saúde, tendo em vista o grande impacto na redução dos acidentes de trânsito e proteção à vida do motorista”, afirma o dr. Antônio Meira, presidente da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet).

Meira lembrou que o Estado da Bahia tem produzido avanços importantes que podem ser replicados em outras localidades e defendeu a adoção de políticas públicas de redução dos indicadores de acidentes no trânsito em todo o território nacional. “Incentivar ações como esta é uma prioridade na agenda institucional da Abramet. Estamos mobilizando nossas federadas, em todo o País, para levar ao poder público dados e estudos científicos, assim como propostas técnicas para a criação de medidas que tornem o trânsito mais seguro e reverter a alta incidência de mortes e sequelas”, comentou.

EVIDÊNCIAS – Em 2019, a Transalvador realizou um conjunto de estudos de velocidade para avaliar as vias com maior índice de acidentes de trânsito na cidade de Salvador: ficou demonstrado que a Avenida Luís Eduardo Magalhães é uma das quatro vias com indicadores mais elevados na capital – foram 53 acidentes com vítimas e duas mortes no ano passado. Os estudos também comprovaram que fora do horário de pico, quando a pista fica mais livre, 92,8% dos condutores trafegam com velocidade até 70km/h.

Atendendo a parâmetros técnicos, a superintendência adequou a velocidade do trecho àquela praticada pelos condutores, tornando regra o limite de velocidade que pode tornar a avenida mais segura. Estudos científicos demonstram que, para os ocupantes de um carro, em uma colisão a 80 km/h, a probabilidade de morte é 20 vezes maior do que aquela a 30 km/h, por exemplo. Além disso, uma velocidade de 80km/h exige mais tempo para uma freada, em caso de risco de acidente.

BOAS PRÁTICAS – Em 2019, a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), entidade ligada à ONU, destacou Salvador como um dos três exemplos na América Latina de redução de mortes no trânsito. Além de Salvador, a agência internacional cita a cidade de Guanajuato, no México, e o país do Uruguai por terem reduzido, consideravelmente, a mortalidade no trânsito.

O projeto Vida no Trânsito, que atualmente também é coordenado pela Transalvador, foi elogiado pela Opas por realizar um trabalho conjunto. A estratégia inclui avaliação e qualificação de dados, inclusão da questão da saúde nas discussões sobre o trânsito, a melhoria na infraestrutura para proteger usuários mais vulneráveis, o investimento em ações para combater o álcool no trânsito e o desenvolvimento de programas de educação infantil.